O que comuna me convém começar a investir em departamentos?

Se você já se convenciste de que um departamento na Grande Santiago é uma boa forma de fazer crescer o seu dinheiro, agora você certamente estará pensando em qual é a melhor área para começar a procurar a propriedade ideal para ti. Bem, pois os dados mais recentes apontam para várias comunas da capital, como pontos estratégicos para investir em departamentos e, nos parágrafos seguintes, entregamos dados que -segura – te serão úteis.
Agora, em termos gerais, se queremos lembrar que os formatos mais pequenos, em geral, em todas as comunas de grande Santiago são os que apresentam melhores rentabilidades, basicamente, porque as suas contribuições são valores baixos, os custos de manutenção são bastante simples (limpeza de tapete e pintura), e, por outro lado, ao ser valores de locação menores ao de propriedades maiores, normalmente, a velocidade de locação é alta, especialmente se é que este tipo de activos está a não mais de 5 quadras do metrô.
Hora bem de acordo com dados fornecidos recentemente pela Câmara Chilena da Construção, a venda de apartamentos novos, na Flórida, Estação Central e San Miguel tem aumentado entre 3 e 5 pontos percentuais nos últimos 12 meses. Por outro lado, as comunas de Independência, Santiago Centro, Porto e A Rainha baixaram entre 2 e 4% da mesma atividade. Estes números dão conta do elevado interesse por adquirir novas casas fora do epicentro da cidade, que acreditamos é, principalmente, por maiores restrições de desenvolvimento nos planos reguladores, implicando o início de outras áreas para pesquisar renda imobiliária parte de investidores formiga.
No entanto, se em vez de comprar, o que procuras arrendar um apartamento, é importante que você saiba que, a nível macro – os valores aumentaram cerca de 1.8% na grande capital. No caso das comunas de Santiago e O Barnechea, os preços desta atividade se elevam acima de 2% no primeiro trimestre deste ano, na comparação com o último trimestre de 2016.
De fato, 70% da atividade comercial corresponde a arrendamentos e apenas 30% a compra por que é um grande momento para investir em uma propriedade.
Lembre-se que, dada as maiores restrições de financiamento por parte da banca, que começaram em Janeiro de 2016, a demanda por aluguel tem vindo a fortalecer-se, dada a maior complexidade para poder comprar uma casa própria.
Os valores acima são inseridos em um quadro de interesse geral, o mercado de bens imóveis. Dado que o interesse pelo aluguel aumentou para 36%, investir em departamentos parece ser, cada vez mais, a melhor forma de fazer crescer o capital.

Posted in Sem categoria

Conheça quais são os principais erros financeiros

Poder contar com uma poupança mensal para algumas pessoas é uma missão impossível, e as receitas parecem desaparecer em pouco tempo de recebê-los, já que o dinheiro deve destinar-se a várias despesas e o pagamento de dívidas. No entanto, há certos protectores que se podem ter para manter as finanças saudáveis.
Cristiano Lecaros, sócio-fundador de Investimento fácil, entidade pertencente a holding Lecaros group, explica quais são os principais erros que prejudicam o bolso. “O primeiro é que tomam decisões impulsivas de compra, as pessoas vêem algo que ele comprou de um amigo ou no shopping e compram de imediato. Não pensam nem avaliam muito caro, especialmente quando compram em probabilidades e acabam pagando duas ou três vezes o que compraram”, disse.
O especialista e autor do e-book “Seja livre em suas Finanças” também comentou que as pessoas não costumam levar a conta de suas despesas. “Claramente, as pessoas não tem um orçamento de cada mês, o que não está claro quanto lhe ficam cada 30 dias, e ao comprar coisas de forma impulsiva um pode facilmente ultrapassar os seus limites de capacidade financeira mensal de pagamento, o que provoca atrasos e os interesses, já que a dívida sobe exponencialmente e a cada dia está mais preso”.
O especialista, em matéria financeira, acrescenta que “outro dos principais erros que comete pessoas em matéria financeira, é que não têm fundo de reserva para alguns imponderáveis e zero de poupança, pelo que devem recorrer aos créditos de consumo”, disse A Estrela.

INVESTIR
O e-book “Seja livre em suas finanças” são entregues inúmeras recomendações para cuidar do dinheiro e poder economizar. Cristiano Lecaros, autor do texto, diz que se procura investir uma boa alternativa é um bem de raiz. “O melhor que se pode fazer com uma pequena economia é ocupá-lo em poder dar um pé para investir em uma propriedade que pode dar uma rentabilidade mínima de 6% a 7%, mais UF, versus um depósito a prazo que lhe pode dar uma rentabilidade de 1%”, disse.

FONTE:
Diário Da Estrela São José Dos Pinhais
Diário Da Estrela Antofagasta
Diário Da Estrela Tocopilla
Diário Da Estrela Loa
Diário Da Estrela Valparaíso
Diário Da Estrela Conceição

Posted in Sem categoria

Região de Valparaíso: Uma área muito atraente para investir

Ao contrário do que algumas pessoas ou futuros investidores podem pensar, Santiago não é a única área econômica em que podem existir oportunidades de negócio interessantes. Outras regiões, como é a Região de Valparaíso, com recursos atraentes e vantagens que lhe permitem posicionar-se como uma boa praça para investimentos imobiliários.
Mais de 10 anos de experiência permitiram-nos ter uma visão correta sobre os lugares em que nossos clientes podem investir de forma menos arriscada, e que além disso, se encontrem localizados em reais pontos estratégicos que apresentem alta de mais-valia e rentabilidade.
Tomando isso em consideração, contamos com departamentos de investimento em Valparaíso, Reñaca Alto e Viña del Mar. Nossa intenção é buscar projetos que tenham muito boa conectividade urbana e com os balneários vizinhos. Contamos com projetos em verde, com valores a partir das UF 1.400, com facilidades de pagamento do pé em probabilidades.
Cabe destacar que nesta região se podem desenvolver diferentes modelos de negócios, mas para isso é necessário contar com uma boa assessoria imobiliária ou a adequada educação financeira. Alugar um ano corrido, por dias (turismo) ou uma mistura de ambos (corrido a partir de março a dezembro e diário na temporada de verão), são formas convenientes de fazê-lo, mas isso depende da localização da propriedade e, assim, avaliar a alternativa que melhor seja em termos de logística operacional e de rentabilidade.
A afluência turística desta região é muito atraente e faz com que a área tenha um grande desenvolvimento de infra-estrutura, equipamentos e oferta cultural, gastronômica e de entretenimento. A existência de universidades também ajuda a que a demanda por aluguel é constante, entre março e dezembro.
Um dos dados não menos importante, é o relacionado com a rentabilidade. Nesta região tende a ser entre 1 e 3 pontos percentuais maior do que em Santiago antes de imposto, mas isso depende de vários elementos, como a localização e do modelo de aluguel que se escolha.
Por último, os investidores não devem esquecer-se de considerar fatores como a localização em relação à costa e das vias de evacuação (áreas de inundação e áreas de segurança), em frente a um Tsunami, a fim de garantir uma melhor valor, qualidade de vida e maiores benefícios para aqueles que lá habitam.

Posted in Sem categoria

Importância do CAI em um crédito hipotecário

O lula e um crédito, devemos considerar não apenas o valor necessário, mas também os encargos adicionais como despesas operacionais, a taxa de juros e Carga Anual Equivalente (CAE).
Em relação a este último, durante o ano de 2012, o Serviço Nacional do Consumidor (SERNAC) incorporou o CAE para expressar, em um único valor e de forma simples, qual alternativa de crédito é a mais conveniente para o cliente. De acordo com a legislação vigente, este custo adicional deve ser informado na hora de oferecer qualquer serviço associado ao empréstimo de dinheiro, sendo o CAE, de suma importância ao contratar um Crédito hipotecário.
A Importância do CAE
Para entender o alcance do CAE na hora de cotar um crédito hipotecário, devemos primeiro entender o que significa este código.
Em palavras simples, a Carga Anual Equivalente (CAE) é uma medida percentual que inclui todos os encargos, juros e pagamentos relacionados, para oferecer uma visão completa do custo total do crédito, durante um período de um ano.
Na hora de pedir um empréstimo devemos tomar especial atenção ao CAIR, já que este indicador ajuda a identificar a alternativa mais conveniente. O anterior, já que o banco ou instituição financeira que ofereça o crédito hipotecário com a Carga Anual Equivalente a mais baixa, será o que, possivelmente, tenha as melhores condições.
Além disso, em um crédito hipotecário, podem registar-se diferenças muito significativas em relação aos custos associados ao CAIR, dependendo da instituição financeira, é por isso que recomenda-se cotar antes de escolher. De fato, de acordo com um estudo realizado pelo SERNAC, com até 19% de diferença no Custo Total do Crédito, isto é, cerca de dez milhões de pesos, pode-se encontrar um consumidor ao pedir um crédito hipotecário de 1.500 UF 20 ano prazo.
Outro fator a considerar é que, se um cliente solicitar uma cotação de crédito hipotecário, as condições oferecidas devem ser respeitados por, no mínimo, 7 dias e, durante esse prazo não pode ser nenhum custo associado.
Se você está em busca de um crédito hipotecário, será muito significativo considerar a importância do CAE e também ser negociadas entre as diferentes instituições financeiras, para encontrar a melhor alternativa do mercado de acordo com suas necessidades e possibilidades de pagamento e, assim, alcançar o sonho de investir em uma propriedade.

Posted in Sem categoria

7 Dicas para evitar entrar em dívida em meses complicados

“Será que te apareceu Março?”. Esta frase, temos lido e ouvido em muitos lugares, devido a que este mês é muito complexo para os chilenos. De fato, um estudo de Mercúrio assegurou que as famílias gastam até 40% de seus rendimentos mensais em março. E entende-se, devido a que se acumulam os pagamentos da autorização de circulação, escola, material escolar, seguros obrigatórios e os pagamentos de contribuições, entre outras tantas contas.
Mas, para que isto não aconteça, é necessário planificar e economizar com antecedência, para que estes pagamentos não se surpreenda, chegando das férias e, assim, evitar pedir emprestado em meses complicados como março.
Olho com as despesas
A principal coisa que você tem que planejar suas despesas fixas e despesas variáveis:
O primeiro é de 60% do orçamento total destinado a resolver contas que são necessárias, como pagamento de aluguel ou de crédito imobiliário, serviços básicos e alimentação.
O segundo é o de 40% do orçamento total destinado a variáveis como diversão, vestuário, pagamento de contas, etc.
Para nosso CEO, Cristiano Lecaros, “março é um mês onde idealmente deveríamos ter algo de poupança, que pode ser de duas maneiras. Uma é ter um fundo onde tenho dinheiro depositado, sem qualquer destino de despesas particular, ou uma poupança forçada para poder estabilizar os momentos onde tenha maiores saídas de fluxo”.
Poupar 10% do total de rendimentos mensalmente uma pessoa pode ter a capacidade de suprir os gastos de março, natal e férias sem ter que pedir emprestado, devido à poupança anual de apenas a décima parte do salário.
Mas, o que dívidas pode assumir para estar melhor organizado?
Existem várias ferramentas que podem te ajudar a cobrir as despesas que trazem os meses complicados, mas cuidado porque você pode chegar a endeudarte em caso de que não ocupes bem.
Cartão de crédito: Uma das melhores opções para te ajudar a cobrir as despesas de março é ocupar os cartões que oferecem prestações sem juros e pagar em 12 prestações, o colégio das crianças, por exemplo. É aconselhável nunca pactuar quotas por mais de um ano, devido a que, quando chegar um novo ano você ganha uma nova dívida para o temido mês.
Crédito de consumo: Se é que vai ocupar este meio, há que ter claro qual é o valor total do crédito que se acabaria pagando, a Carga Anual Equivalente (CAE) e o valor da quota. O importante é nunca ficar para trás na taxa de matrícula! O interesse por atraso pode ser muito elevado e se transformar em um círculo vicioso, que pode inclusive, fazê-lo perder o acesso a este tipo de financiamentos formais.
Avanço em dinheiro: Esta é a ferramenta menos recomendada. De fato, o Sernac realizou um estudo e constatou que, dependendo da instituição, pode chegar a pagar até o dobro do valor solicitado.
Por esta razão, antes de endeudarte recomendamos que você leia as seguintes dicas que te ajudarão a planificarte melhor para estas datas complicadas.
Estas dicas servirão para que não se endeudes
Planeje os gastos: É muito importante que você coloque atenção no que você está desembolsando seus rendimentos.
Realiza um orçamento e anote seus gastos podia esperar: Moradia, alimentação, e os serviços básicos são alguns gastos que você tem que cobrir.
Controla e registra todas as suas compras: Existem app que te ajudarão a controlar suas finanças pessoais, ou você pode anotar em uma planilha do Excel, ou simplesmente em um caderno.
Paga as parcelas de suas dívidas a tempo: desta forma não se cobram juros e não pagará mais por retrasarte.
Não compre por comprar: Faze-te esta pergunta, antes de consumir um produto: Preciso isso de forma urgente?, se a resposta é não, então não a compre se tiver que pagar outras contas. Dado que, se você comprar o que não precisa, depois de vender o que se necessita.
Em tempo de vacas gordas, economiza não desperdice: lembre-se de que vêm os meses de setembro a dezembro, onde também aumentam os gastos no Chile.
Se você está muito sobrecarregado, você pode pedir um crédito: Compare alternativas optando pela cota mais baixa.
Com essas dicas você pode se preparar da melhor forma para o temido mês de março, e lembre-se que se precisar de mais dicas, você pode fazer o download do nosso eBook “Seja livre em suas finanças” totalmente grátis.

Posted in Sem categoria

Educação Financeira: A solução para o aumento da inadimplência no Chile

Com base no último Relatório de Estabilidade Financeira (IEF) do Banco Central, o resultado não foi muito positivo para o país, e é que aumentou a inadimplência no Chile, devido a um contexto de menor dinamismo da atividade e do emprego.
Além disso, um relatório da Superintendência do Banco e Instituições Financeiras (SBIF), publicado pelo emol.com ela revelou que no Chile há 700 mil devedores hipotecários e 1,5 milhões de devedores de crédito de consumo. Por esta razão, é importante possuir uma boa educação financeira para evitar dívidas desnecessárias e só ter dívidas boas como o é o de investir em uma propriedade.
O relatório do Banco Central acrescentou que o mercado imobiliário residencial continua ajustando-se, depois de apresentar um elevado dinamismo. Diferentes indicadores do setor imobiliário residencial dão conta de uma desaceleração, em linha com a evolução da situação económica como com as alterações fiscais e legais discutidos no IEF-requisitos.
Devido a estes dados, Rádio Bio Bio Valparaíso, entrevistou o nosso CEO, Cristian Lecaros, com o fim de explicar o que está ocorrendo no país no que diz respeito à educação financeira e o nível de inadimplência.
Escuta a entrevista completa aqui!

Posted in Sem categoria

Como encontrar o locatário ideal?

Tal como o avaliamos em nosso post de os Quatro mitos sobre investimentos imobiliários, existe o receio por parte de alguns investidores, que muitas vezes indicam que “os locatários nunca pagam”, afirmação que não é verdadeira.
No entanto, é preciso reconhecer que esse problema afeta uma quantidade significativa de pessoas, e são precisamente os investidores, em conjunto com seus corretoras de imóveis, os responsáveis de escolher um bom perfil de locatários que não gerem este tipo de futuros conflitos.
Para isso, é necessário realizar diagnósticos e avaliações anteriores para os novos inquilinos, com o propósito de verificar que estes possuam um bom comportamento no mundo financeiro e que se possam minimizar os riscos de pagamento, independentemente se existe ou não um seguro de aluguel ou não.
É fundamental que o possível locatário de um departamento possui um excelente desempenho comercial prévio e seja uma pessoa econômica estável, isso significa que não tenha qualquer tipo de problemas com DICOM, e por outro lado está em uma fase ativa de trabalho de com contrato por tempo indeterminado, antiguidade de, pelo menos, um ano e de preferência que trabalhe para uma empresa com pelo menos 5 anos no mercado.
Por outro lado, também existem opções com as que o locador pode minimizar o risco de não pagamento, e, ao respeito, nosso CEO, Cristian Lecaros, em entrevista com 24 Horas, indicou que “o fundamental é estabelecer um contrato de aluguel completo e claro, que é um acordo entre as partes, para deixar constância de que os direitos e deveres de cada um, este é imprescindível que seja protocolado em cartório para a sua validade jurídica”.
“O Ideal é se proteger estipulando um pagarei por alguns meses de renda, por se apresentarem duas situações: uma, que me deixem de pagar, e eu poder protestar esse te-ei, e dois: porque, como o locatário só documenta garantia de um mês para o aluguel, no caso de que tivessem danos ou mau uso do imóvel, eu com esse pagarei poderia protestarlo em um eventual julgamento, onde exija os custos associados aos arranjos que tivesse que fazê-lo para a propriedade. Esse é o fim do pagarei”, disse Cristian na referida entrevista.

Posted in Sem categoria

“A simplificação da Reforma” e do Setor Imobiliário

Terça-feira, 10 de dezembro do presente ano, ingressou na Câmara dos Deputados um projeto de lei que simplifica o sistema de tributação da renda e aperfeiçoa outras disposições legais tributárias”, conhecido por alguns como a “reforma da reforma tributária”. A grande quantidade de instruções administrativas emanadas pelo Serviço de Impostos Internos após a promulgação da Lei 20.780 colocou na palestra que a aplicação da reforma era mais complexa do que parecia. Por outro lado, alguns setores acreditavam que algumas interpretações do ente monitoramento iam contra a intenção do legislador. Por ambas as razões, a mensagem presidencial estabelece entre os principais objetivos do projeto simplificar o sistema tributário e definir ou clarificar a aplicação da lei, sobretudo no que diz respeito a normas transitórias e de vigência.
O setor imobiliário foi particularmente afetado com a Reforma Tributária, pela incorporação da atividade imobiliária-se ao fato taxado de IVA, as mudanças nos requisitos para acessar o crédito especial de empresas construtoras. Pelo exposto, surgiram algumas dificuldades na interpretação da lei, que vem a ser esclarecidos por este projeto. A seguir estão as principais mudanças que se pretendem incorporar com a “reforma da reforma”, a fim de corrigir esses problemas.
A reforma tributária estabeleceu uma isenção para os imóveis adquiridos com subsídios do Ministério de Habitação e Urbanismo. No entanto, isso implica que as empresas construtoras que vendem directamente ao beneficiário de um subsídio não teriam direito ao Crédito Especial de Empresas Construtoras, já que a transferência de domínio não estaria afeta. O projeto de simplificação propõe explicitar que as empresas construtoras sim terão direito a esse crédito, neste caso, em particular. Além disso, se você deseja estabelecer uma isenção para os contratos de locação com opção de compra financiadas com subsídios.
Uma das regras que geram maior preocupação no mercado imobiliário é a alínea l) do artigo 8 da Lei de Imposto sobre Vendas e Serviços, em vigor a partir de 1 de janeiro de 2016, que estabelece como fato gravado especial as promessas de compra e venda, ou seja, o valor que se paga, como adiantamento do preço final. Como assinala a mensagem presidencial, isso é especialmente complexo, já que as promessas podem estar relacionadas com vendas isentas ou o bem prometido pudesse eventualmente variar. Além disso, a promessa poderia deixar-se sem efeito porque o comprador pode não obter o crédito hipotecário ou por acordo das partes, o que obrigaria a restituir não apenas o valor pago pela promessa, mas também o IVA recarregado na operação. Dada esta situação, o governo pretende deixar isentas de IVA as promessas de compra e venda de imóveis e aplicar o imposto apenas no momento da venda, sobre o valor total do bem, o que inclui os adiantamentos que tenham pago a conta desse valor.
Por outro lado, como nos contratos de arrendamento com opção de compra de imóveis, além da renda do arrendamento, implicitamente, são cobrados juros, coloca-se reconhecer esse componente financeiro, que não deveria ser impostos com IVA. Pelo exposto, propõe-se reduzir o interesse da matéria colectável do imposto, o qual, entretanto, poderá ser objeto de uma avaliação do Serviço de Impostos Internos em conformidade com o artigo 64 do Código Tributário.
O artigo sexto transitório da Lei 20.780 estabelece que as transferências de imóveis efectuadas no âmbito de um contrato de locação com opção de compra celebrado antes de 1 de janeiro de 2016 não estão afectas-a a IVA, na medida em que cumpram com determinadas formalidades. No entanto, com essa redação, entende-se que apenas a cota final para exercício da opção de compra estaria isenta do imposto. Por isso, o projeto de lei estabelece que tanto a escolha como as taxas de aluguel não estão afectas-a a IVA neste caso.
Outra norma que tem sido bastante discutida é o artigo sétimo transitório da Lei 20.780, que estabelece uma isenção de IVA na transferência de imóveis, sempre que se cumpram simultaneamente dois requisitos: que se conte com a autorização de construção emitido pela divisão de Obras Municipais respectiva a 1 de janeiro de 2016 e que as respectivas vendas realizadas até o dia 1 de janeiro de 2017, isso deve incluir a assinatura da escritura pública de compra e venda dentro deste prazo. A razão da controvérsia é que muitos projetos leva um longo tempo para ser construída e para vender é necessário recepção de obras de Direcção de Obras Municipais, para que os prazos estipulados nesta cláusula não são suficientes na maioria dos casos. Por isso mesmo, o executivo considera necessário alterar o artigo sétimo transitório em dois aspectos. Primeiro, estabelecendo que a isenção aplica-se a solicitação de recepção se entra para a Direcção de Obras Municipais, antes de 1 de janeiro de 2017. Segundo, que já não é relevante a data em que se vendam os imóveis respectivos, ou seja, desde que se cumpra o requisito da venda é isenta, não importa em que momento se realize.
Em conclusão, há que reconhecer que, para sua elaboração, foram recolhidos preocupações de diversos atores e que se tratou de resolver as dificuldades que apresentava a implantação da Lei 20.780. A aprovação desse projeto de simplificação, ou “reforma da reforma” pode levar tempo e pode ser alterado durante a discussão, por isso é importante estar atento a essas mudanças e seguir sua tramitação no Congresso.
Gonzalo Polanco Z.
Diretor Executivo
Centro de Estudos Fiscais da Universidad de Chile

Posted in Sem categoria

Por que investir em apartamentos pequenos?

Hoje em dia se tornar um investidor imobiliário já não é privilégio de alguns. No Investimento Fácil a política é democratizar o acesso à compra de bens imóveis para assim melhorar as aposentadorias e criar património obtendo rentabilidade a longo prazo, tudo isso partindo com um mínimo de poupança.

A escolha do imóvel que vai comprar para arrendarlo, estará sujeita a vários aspectos a considerar, e, geralmente, os investidores adquirem apartamentos pequenos, por sua rentabilidade e alta demanda ao ser imóveis de transição e não de longo prazo para os locatários.
Geralmente as pessoas que procuram este tipo de arrendamentos são jovens profissionais que ainda não são bancarizados mas sim têm estabilidade no emprego, assim como também solteiros, estudantes universitários provenientes de regiões e também pessoas separadas.
Mas para entender melhor as características dessas propriedades, Cristian Lecaros, Gerente Geral de Investimento Fácil, nos detalha algumas considerações de por que convém investir em apartamentos pequenos:

São apartamentos de menos de 50 m2
O seu dividendo geralmente será menor ou igual ao valor do aluguel, por isso é “pagam sozinhos.”
Sua localização é privilegiada por estar a não mais de 3 quarteirões de uma estação de Metro
Ao ser os formatos pequenos, suas contribuições são baixas
A sua avaliação fiscal está associado ao tamanho, por conseguinte, também sob
Seus custos de manutenção são menores
Quanto mais perto do metro, diminuem as taxas de vaga, porque a um locatário que lhe convém ter mobilização perto, tanto no econômico como no da qualidade de vida
As despesas comuns de um departamento pequenos são baixos em comparação a um maior

Posted in Sem categoria

O que dizem os nossos clientes sobre o Investimento é Fácil?

Investimento Fácil representa uma janela para um futuro promissor, graças ao esforço e planejamento dos clientes que confiam em nosso trabalho, é precisamente graças a eles que esta empresa tornou-se um meio para que aqueles que assim o desejarem possam alcançar a tão anhleada liberdade financeira, de que tanto se fala.
Temos muitas histórias para contar, mas hoje decidimos contar o processo vivido por Gerardo Mordojovich, e sua esposa, até se tornar bem sucedido investidor imobiliário, que diz que “a nossa principal motivação para investir em imóveis é capitalizar economias futuro que nos renten um valor que desejamos, pensando em melhorar os rendimentos de uma futura aposentadoria”.
Tomando isto como ponto de partida, Mordojovich recorreu ao Investimento Fácil sob a recomendação de um amigo, que já contava com o departamento de locação sob o nosso modelo de negócios, e teve uma experiência muito boa como um investidor imobiliário.
“Ao ser recebidos na empresa nos mostraram o modelo de negócios. Nos receberam todas as vezes que queríamos e tiraram nossas dúvidas a respeito da forma de investir. Apoiados pela experiência de meu amigo nos lançamos neste projecto, o qual vai muito bem encaminhado. Nos informa o grau de progresso das obras periodicamente”, disse Gerardo, deixando entrever a dedicação e a responsabilidade que têm os membros do grande equipe de trabalho.
Três razões principais que teve esta família para decidir que Investimento Fácil fora da empresa que presta assessoria em este determinante processo que os levaria a obter uma melhor qualidade de vida no futuro: a experiência de seu amigo, a confiança que lhes inspirou tanto o projeto como a nossa organização e, por último, a reconhecida trajetória de nosso CEO, Crisitian Lecaros, que se tornou uma importante referência dentro do segmento de inmobiliairo e, além disso, é sinônimo de serieda, compromisso e transparência.
Não há dúvida de que Gerardo Mordojovich é outra daquelas pessoas que com firmeza deu um salto importante em sua vida, com vista à obtenção de bem-estar próprio e da família, e não hesita em falar de nós “, porque se trata de uma empresa com anos no segmento, que tem muito claro como investir em forma relativamente segura em propriedades, além disso, têm um volume importante de clientes que os apoia e sua gerência é reconhecida no mercado”.

Posted in Sem categoria