Maiores rentabilidades por comuna em Santiago

Em um estudo realizado pelo site de venda de propriedades Toctoc.com estabelece-se que os apartamentos de um e dois dormitórios são mais lucrativas por ano do que os de três ou quatro. Em números, os de uma peça chegam ao 6,38%, os dois ao 6,32%, de três a 5,92% e os de quatro a 6,03%.
Jovens profissionais recém iniciando suas carreiras, estudantes de regiões, pessoas separadas e solteiros são o grupo alvo destas propriedades. Em geral, os departamentos grandes são mais difíceis de alugar porque, necessariamente, o perfil é o de uma pessoa com a família. Os departamentos mais pequenos são mais rentáveis, mas por outro lado, têm uma maior taxa de rotação
Atualmente, o Chile é um bom lugar para investir em propriedades dadas as suas taxa de rentabilidade anual superior a 5-6%.
Calcule a Rentabilidade de sua propriedade
Só precisa de dois dados importantes: o valor da propriedade na UF e o aluguel estimado também na UF. O exercício matemático seria o seguinte:
Rentabilidade = (Aluguel estimado em UF x 12 meses) / Valor da propriedade
Rentabilidade Anual por Comunas
De acordo com o mesmo estudo de Toctoc.com as comunas com melhor rentabilidade são da Flórida, com 7,9%, Recoleta, com 7,3% e Independência, com 7,2%. O anterior explica-se pela alta demanda desses setores e a pouca oferta de apartamentos de entrega imediata. A comuna de Independência tornou-se uma das comunidades com maior potencial de desenvolvimento urbano, graças ao planejamento da futura linha 3 do metro, universidades, hospitais e a sua proximidade ao centro da cidade
Fonte: SEG, Edição de 01 de Novembro 2014

Posted in Sem categoria

11 Dicas para melhorar suas finanças

Muitos, apesar de ser profissionais e ter um trabalho bem remunerado, vem quase impossível se tornar um investidor imobiliário. Qual é a razão?. A grande maioria das pessoas estão endividados em bancos ou casas comerciais e alguns meses fazem malabarismos para ordenar as suas contas, basicamente, por uma má organização das prioridades.

A boa notícia é que existe uma solução e é por isso que o nosso especialista Cristian Lecaros, Gerente Geral de Investimento Fácil, se entrega 11 dicas para organizar suas finanças pessoais, o que há que evitar e o que fazer, e te contamos abaixo:
1.- O primeiro e fundamental é que elabora um orçamento mensal e anual que lhe permita ter uma visão clara de sua situação econômica. Desta forma, você pode tomar boas decisões financeiras durante o ano. (ver nota de Orçamento Familiar)
2.- Não gaste mais do que ganha-se em coisas que NÃO necessita. Isto parece bastante óbvio, mas é bastante comum o gastar nosso dinheiro em itens que não são estritamente necessários e depois terminamos totalmente encalillados.
3.- Aprenda a identificar o que é uma necessidade, um desejo ou um capricho (ver nota de Orçamento Familiar)
4.- Se você é comprador(a) compulsivo(a) evita ir a lugares onde você pode tentar, como por exemplo, os malls e se possível tente evitar o uso de vários cartões de crédito, utilizando somente uma compra 1 cota única ou no máximo em 3 parcelas preço contado quando se trata de compras importantes e mais caras, como por exemplo, um refrigerador.
5.- Evita endeudarte com cartões de crédito ou de casas comerciais, já que os juros são o que se irão gerar problemas futuros. Para isso, volta ao ponto 1. Se você já está endividado, busca de fontes adicionais de renda e cancela da dívida que se gera maiores cobrança de juros mensalmente ao menor.
6.- Se você quer viajar, é melhor poupar para isso que te endeudes por 2 anos em umas férias de 7 dias com seu cartão de crédito ou de alguma casa comercial.
7.- Recomenda-Se ter mais de uma fonte de renda, um plano B ou C, que lhe permita estar mais fraco economicamente e não ter que recorrer a empréstimos ou avanços de dinheiro, que normalmente vem incorporados com taxas de juros muito altas.
8.- Pense em um seguro dental ou de saúde mensal, para que em caso de algum imprevisto, não se vê afetado com um gasto catastrófico em sua economia familiar.
9.- Muda os vícios dos passatempos.
10.- É melhor do que levar uma vida austera, enquanto você construir outras fontes de renda e não uma “ricos” sem sê-lo. Lembre-se que os ricos constroem primeiro, seus ativos para gerar renda passiva (de bens imóveis, de negócios, etc) e a classe média, pelo contrário, vive somente de um emprego. Volta ao ponto 1.
11.- Com estes passos você pode ordenar suas contas, você verá como, em poucos meses você terá um capital de poupança mensal que lhe permite se tornar um investidor e gerar pouco a pouco e de maneira estável fluxos de renda passiva para ser livre financeiramente.
Se quiser mais informações, por favor leia a nossa nota de Dívidas Boas e Dívidas Ruins.

Posted in Sem categoria

10 coisas que você deve saber antes de investir em departamentos

Investir em departamentos tornou-se uma das melhores alternativas para aqueles que desejam ter uma qualidade de vida melhor no futuro e, assim, oferecer mais conforto aos integrantes de seu núcleo familiar. Geralmente, trata-se de boas rentabilidades obtidas através de propriedades que são adquiridas pelas pessoas com o fim de alugar e que com este dinheiro seja cancelado o dividendo das mesmas.
Assim é, aqueles que dão esse importante salto para a aquisição de propriedades de investimento, realmente estão comprando apartamentos que acabam “pagando sozinho” em determinados períodos de tempo estabelecidos. O soa interessante, certo? Mas, para ter sucesso neste negócio é importante ler, instruir-se, tornar-se pouco a pouco um verdadeiro conhecedor do assunto.
Levando em conta isso, hoje eu vou explicar estes 10 conceitos que você deve ter em mente antes de tomar a decisão de investir em departamentos.
1. Ativo.
É tudo aquilo que você tem em seu nome e coloca dinheiro mensalmente em seu bolso, trata-se principalmente de um veículo de investimento. Um dos melhores exemplos, aplicado ao mundo imobiliário, seria o aluguel de uma propriedade para investimento.
2. Passivo.
Embora, certamente, um passivo é uma dívida que tira dinheiro do seu bolso, se refere àquelas obrigações financeiras mensais que alguém possui. Se o ativo seria o aluguel de uma propriedade, o que gera uma renda todos os meses, o passivo é o dividendo por cancelar a propriedade onde vivemos.
3. Património.
Uma fórmula simples para entender o que é o património é a subtração de tudo o que uma pessoa tem (ativo) menos tudo o que deve (passivo). O patrimônio é o que realmente lhe pertence, e é muito importante a ser considerado, uma vez que os bancos, no momento de conceder créditos hipotecários não só olham para o fluxo de renda, mas também este elemento.
No e-book “torne-se um investidor imobiliário de sucesso”, de nosso CEO, Cristian Lecaros, que você pode baixar clicando aqui, você também encontrará exemplos sobre estes conceitos, que são explicados de forma simples.
4. Dívida boa / Despesas bom.
Certamente você se pergunta “será que existe uma dívida boa?”, e a resposta é um retumbante sim! Estas estão relacionadas com aquelas que se assumem no sistema financeiro, mas que têm um ativo real, que as apoia, e que, finalmente, vão aumentar o seu patrimônio. Tomar um crédito hipotecário para aquisição de uma propriedade é uma dívida, mas se esta é destinada ao aluguel, então estaríamos em presença de uma dívida boa, uma vez que eles ganham dinheiro ao fazê-lo.
5. Dívida má / Despesas ruim.
Não há melhor forma de entender esse conceito com um exemplo. Se compras a crédito, uma viagem ao Caribe, esta seria uma dívida ruim, mas se além disso você terminar pagándolo em três anos a elevadas taxas de juros, estamos em presença de um gasto ruim.
Certamente, uma viagem é um presente muito bonito para si mesmo, mas há que fazê-lo de forma planejada, pois se o pagamento do mesmo deve representar uma dor de cabeça, então substitui o prazer de alguns dias a preocupação de vários meses ou até anos.
6. Mais-valia.
Este termo se dá muita importância ao falar de investimentos de departamentos, uma vez que expressa o maior valor de um ativo imobiliário medido desde o momento da compra até o momento de sua avaliação comercial ou eventualmente venda (alienação) do mesmo.
7. Fluxo de caixa.
É a quantidade de dinheiro ou fluxo mensal que percebe o dono de uma propriedade de investimento, que resulta da diferença entre a renda por aluguel mensal, a comissão de administração, as contribuições proporcionais e o dividendo desta propriedade.
8. Ganho de capital.
O ganho de capital refere-se ao maior valor associado à venda de um ativo imobiliário descontado o valor da dívida atual antes de impostos.
9. Orçamento.
De forma muito simples, o orçamento é a quantidade de dinheiro que se considera será necessária para cobrir algumas despesas. Normalmente, os orçamentos são mensais, então, com a ajuda do Excel proyectarlos anualmente. O positivo de fazê-los de forma planejada, é que se pode avaliar a quantidade de dinheiro que será destinada a investimentos imobiliários.
10. Renda passiva.
Por último, o rendimento passivo é o fluxo de dinheiro que recebe um investidor através de seus investimentos imobiliários em que não mantém uma participação ativa de seu tempo, por isso o nome de “passivo”, a diferença de um trabalho onde a pessoa deve estar fisicamente presente para gerar renda.
Estamos certos de que com estes 10 conceitos, você terá um panorama mais claro de alguns pontos-chave que você deve considerar antes de tomar a decisão de mudar a sua vida, de ter um futuro melhor, de desfrutar com a família, de que modo? Investindo em propriedades.

Posted in Sem categoria

Refinanciamento Hipotecário, uma alternativa para concorrer a melhores taxas de juros

Muitas pessoas pensam que, ao assinar um crédito hipotecário com uma instituição financeira, não têm mais opção de ficar com o produto durante o tempo de prazo acordado, que são normalmente entre 15 e 30 anos. Mas felizmente, isso não é assim, e sempre existe a possibilidade de buscar a melhor alternativa de taxa que possa influenciar um menor custo de dividendo, quer que tenhamos obtido o crédito hipotecário há um mês ou 10 anos.
Se faltam poucos anos para quitar a dívida, você é investidor e pode negociar com os bancos ou mutuarias por volume, ou simplesmente quando tirou esse crédito não pode ter acesso a uma boa taxa, refinanciar sua hipoteca é uma opção muito atraente pensando no custo final, sempre e quando as taxas estão caindo e você encontrar uma oferta melhor do que já tem.
“O refinanciamento é o de modificar as condições atuais de seu crédito, de acordo com as suas necessidades, para aceder a melhores custos financeiros, seja reduzindo os prazos ou quotas mensais, por exemplo, de 20 a 15 anos, o que poderia aumentar ou não o valor do dividendo, tudo vai depender da taxa que obtiver, ou reduzir o dividendo mas estendendo os anos. Esta última alternativa não é a mais apropriada, já que a ideia é que refinancies em um bom momento econômico, e não quando você não puder pagar, para, assim, ter liberdade financeira em uma idade adiantada, e não aos 65 anos”, explica Cristian Lecaros, CEO de Investimento Fácil.
Outra recomendação é a de fixar-se este novo hipotecário me dá a possibilidade de “prepagar” dividendos dependendo de como esteja o meu fluxo mensal, sem os custos que isso significa e para diferentes períodos de tempo, por exemplo, se eu tiver mais dinheiro, pré-pago dividendos a 8 anos, e se eu estou passando por um período de escassez econômica, o pagamento a 30 anos.
Sempre é bom citar os seguros associados, como o de incêndio e sismo com outro operador, mas, neste caso, há que ter em conta que, se são acoplados em outra instituição, paga-se o ano inteiro do produto.
Quando refinanciar um crédito hipotecário, você está adquirindo um “novo” crédito, portanto, ao avaliar esta possibilidade, deverá assumir as despesas operacionais, uma vez mais, como:
Atualização do estudo de títulos
Rascunho da redação
Despesas de cartório
Inscrição no conservador de imóveis
Se o seu banco lhe oferece melhores taxas, e refinancias com eles, você também deve incorrer nestes custos operacionais, incluindo a fixação do preço da propriedade, mas, você economiza o estudo de títulos, porque eles já possuem. Portanto, considera-se também que este processo dura cerca de 90 dias, o que, provavelmente, você poderia estar pagando os 2 créditos em paralelo.
Como em todo hipotecário, sempre o mais importante é ser contada em diferentes bancos ou mutuarias. E como se trata de uma dívida tão pessoal, é difícil que o executivo de nosso banco, nos esteja avisando melhores ofertas e / ou taxas, por isso é importante que seja um que ligue, confira e fique atento às variações do mercado. Uma boa alternativa para administrar suas propriedades e fazer este trabalho de procurar melhores taxas realiza o Investimento Fácil, que projetou um modelo ideal para quem não tem todos os conhecimentos do mundo imobiliário e não possuem o tempo necessário para se dedicar a conseguir melhores ofertas.
“O importante é ver se a minha nova alternativa de custo financeiro vai ser uma poupança ou não, já que você pode levar 5 anos com esse crédito, mas tem uma taxa tão baixa que não é possível encontrar uma instituição que se a melhorar, por isso não te convém fazer a mudança. Além do tempo da dívida é ver o custo financeiro”, garante Lecaros.
O especialista de Investimentos Fácil recomenda a alternativa do refinanciamento “para todos aqueles que têm a habitação própria, sejam apartamentos ou casas, é um exercício que deve fazer, porque até o momento há taxas muito atraentes”, conclui.

Posted in Sem categoria

Saiba como escolher um Crédito Hipotecário

Entre julho e setembro do presente ano, vivemos a explosão de vendas de imóveis a maior desde há uma década, isso segundo dados da Câmara Chilena da Construção (CCHC). Durante esse trimestre, houve um crescimento de 45,6% em comparação com o ano passado, e de acordo com Xavier Furtado, gerente de Estudos da CCHC, uma das causas que explica o fenômeno seria que, a partir de 1 de janeiro de 2016, as casas vão começar a pagar o IVA, e os preços podem subir entre 3% e 10%. Mas é importante ressaltar que esse imposto não se aplica a habitações de menos de 50 milhões de pesos.
Outros dados interessantes na hora de pensar em investir em imóveis, é que das mais de 12 mil casas compradas este ano, 8 em cada 10 são departamentos. E 47,4% das vendas foram de imóveis de menos de 2 mil UF.
No terceiro trimestre além disso, a Estação Central, foi uma das comunas mais procuradas na hora de comprar um apartamento, concentrando 17% das vendas, liderando assim o ranking com Independência e Da Flórida.
Atualmente o mercado tem para oferecer, entre 70 mil e 80 mil casas, o que se traduz também em que as instituições financeiras estão oferecendo atrativos créditos para seus clientes em potencial, por isso mesmo, gostaríamos de perguntar ao nosso especialista Cristian Lecaros, CEO de Investimento Fácil, como escolher um crédito hipotecário:

1. Primeiro, o convite é a descontar créditos em instituições financeiras, pelo menos, 5), entre bancos e mutuarias.
2. Uma das recomendações mais importantes é olhar sempre o dividendo final, já que com esse valor posso fazer a comparação com outras instituições. A taxa de juros tem relação directa com o dividendo final.
3. O preço dos seguros associados ao crédito hipotecário variam de uma instituição para outra. Você pode até mesmo tomar o Terremoto ou Incêndio em uma instituição diferente ao hipotecário. Mas há que tomar em conta que estes seguros “independentes” deverão ser pagas em sua totalidade por ano completo, a diferença de escolher o pacote completo no banco, em que os seguros são incluídos na prestação mensal do crédito.
4. Flexibilidade de Pagamento: O sistema de entrega diferentes prazos de pagamento, geralmente entre 8 e 30 anos, dependendo do pé, idade e outros fatores. Hoje existem no mercado opções de pagamento, com a flexibilidade que permitem adiantar ou atrasar quotas, assim como também modificar o valor de um mês para outro. Algumas instituições que trabalham com esta modalidade são: BBVA, Metlife ou Vice Hipotecária.
5. Uma boa opção é quando uma instituição financeira oferece “meses de graça”, que são, geralmente, entre 2 e 6, podendo assim atrasar o pagamento da primeira parcela do crédito. Isso permite amortecer as despesas dos primeiros meses da mudança, as Despesas Operacionais, a compra de mobiliário, organizar o pátio, no caso de que seja uma casa, etc., Há que se levar em conta que, algumas vezes, as entregas das casas é com algum atraso e podem ser combinados quotas do novo dividendo com o atual aluguel.
6. As Despesas Operacionais (GO) também variam entre uma instituição e outra, e podem aumentar muito o valor de um crédito. Os GO são um dinheiro extra que é cobrado por procedimentos como a inscrição da propriedade no Conservador de Bens imóveis, o Estudo de Título e o Rascunho da Redação.
7. O PÉ: A partir de agora você deve pensar no que será de 20% do valor da propriedade, por conseguinte, é conveniente começar a poupar desde antes ou escolher projetos de, pelo menos, um ano da data de entrega, para, assim, ter mais tempo de pagar o pé no confortáveis quotas.

Posted in Sem categoria

Locatário e locador: deveres na locação de um imóvel

Você sabe o que é o que você deve pagar, no momento de alugar um imóvel?, ou Quem é o responsável por consertar os imperfeitos do imóvel?
Sempre é importante saber quais são as atribuições e obrigações que têm cada um dos protagonista na locação de um imóvel, sobretudo com o aumento de pedidos de locação, que registraram um aumento de 39,1%, segundo o último Relatório Trimestral do Mercado de Imóveis Usados PortalInmobiliario.com
É por isso que aqui nós definimos sete pontos importantes em que você tem que colocar a máxima atenção ao momento de conhecer as funções que elas cumprem o arrendamento de uma propriedade.

Assinatura de Contrato de Locação
Este ponto é fundamental no momento de definir as obrigações e os atributos que tem cada um dos responsáveis do imóvel. Aqui é definido sob um contrato de arrendamento, o acordo entre o locador e o locatário, para que ambos se protegem e prevendo direitos e obrigações com relação ao imóvel. Isto minimiza os problemas que possam existir e evita dores de cabeça futuras para o dono da propriedade.
Por esta razão, o contrato tem que deixar estipulado, o mais explícito possível, o tipo de uso que se dará, a repartição de despesas do imóvel, o prazo do arrendamento, as formas de pagamento, os motivos de cancelamento do contrato e indicar multas e proibições, entre outras coisas, sempre com cópia para ambas as partes e assinada perante notário.

Inspeção da propriedade
É necessário que você preencha exaustiva e meticulosa todo o imóvel com o fim de evitar futuros problemas nas instalações e não ter gastos desnecessários por reparos. Analisa a infra-estrutura, tubos, conexões elétricas e móveis incorporados à propriedade, contanto que tudo esteja em pleno funcionamento.

Danos causados por acidentes naturais
Um acidente natural é quando ocorrem grandes perdas materiais causadas por eventos ou fenômenos naturais como terremotos, inundações, tsunamis, deslizamentos de terra, desmatamento, poluição ambiental e outros.
Uma obrigação que corre por parte do locatário é responsável pelos custos causados por acidentes naturais. Embora o locatário pode assumir o custo e depois exigir o reembolso das despesas ao proprietário ou descontarlo do pagamento do aluguel, dependendo do acordo a que chegaram.
Sempre é importante contar com um seguro de investimentos imobiliários ou serviços que lhe permitam garantir seu patrimônio contra eventuais casos naturais ou um mau uso da propriedade.
Reparos locativa
Em primeiro lugar há que definir o que se entende por “reparações locativas”. Estas são as degradações que ocorrem por responsabilidade direta ou culpa do locatário, como ruptura de vidro, a reposição de tomadas ou arranjos menores.
Neste caso, é o cliente que tem que pagar as despesas e reparos. É por isso que se recomenda que, antes de ocupar o imóvel, se registrar fotograficamente cada espaço da habitação para evitar problemas.
Arranjos estruturais
O locatário é o encarregado de se responsabilizar por reparos estruturais na propriedade. Ele será a pessoa que terá que cancelar as despesas, por exemplo, de uma rede de canalizações em mau estado ou de uma filtração.

Despesas comuns
Há que definir que, segundo a Lei 18.101 de Locação de Imóvel encarregado de assumir as despesas comuns do imóvel é o proprietário, mas estima-se que, no momento de alugar o que é responsável por este pagamento é o locatário.
É por isso que se sugere que o locatário e o locador se ponham de acordo, no momento da assinatura do contrato para decidir quem se responsabilizará com esses custos e que fique estipulado em papel no contrato de locação.

Despesas de comunidade
Existem diferentes taxas de comunidade em que o locatário é o encarregado de sustentar os custos, como por exemplo, se você decidir melhorar os jardins, para iluminar os corredores ou pintar o edifício.
Por outro lado, no que respeita à remuneração dos empregados do edifício, e as suas contribuições vão por parte do locatário, e, no caso das indemnizações em caso de despedimento, correm por parte do proprietário.

Posted in Sem categoria

Conheça os benefícios das casas DFL 2

Você já ouviu falar das casas DFL2? É possível que você seja o proprietário de uma delas e não saiba, perdendo assim convenientes benefícios fiscais que a legislação chilena, foi acordado para este tipo de bens imóveis.
Primeiro que tudo, o que é exatamente uma propriedade DFL2? Basicamente, são residências (casas ou apartamentos) que têm uma população inferior a 140 metros quadrados, sem considerar jardim, estacionamento e piscina, no caso contasse com estes espaços. No entanto, para fazer uso de suas vantagens sobre os impostos, é necessário que estejam inscritos como casas tipo DFL2 no município de sua cidade, devendo, além disso, ser essa informação nas escrituras de compra e venda do imóvel.
Agora, quais são esses benefícios tributários? Este tipo de propriedades são, em geral, muito convenientes para investimento, já que ao ser reconhecidas como casas DFL2 o pagamento de contribuições, redução em 50% por um período determinado. Além disso, tanto no que se refere ao conservador de bens imóveis como também os pagamentos associados à selos e selos, a diminuição é do mesmo percentual.
De acordo com o tamanho exato das casas DFL2, existem diferentes intervalos de tempo de isenção de pagamentos de impostos, sendo estes os seguintes:
Para casas ou apartamentos de até 70 metros quadrados, o pagamento de contribuição é reduzido em 50% por 20 anos.
Para casas ou apartamentos entre 71 e 100 metros quadrados, o pagamento de contribuição é reduzido em 50% por 15 anos.
Para casas ou apartamentos de 100 até 140 metros quadrados, o pagamento de contribuição é reduzido em 50% por 10 anos.
É importante lembrar que -para o caso das moradias usadas – deve-se investigar as instâncias pertinentes quanto tempo lhes resta para o término da franquia, bem como se os benefícios já vencidos por ultrapassar os anos dos mesmos ou por exceder a área permitida.
Já o sabes! Descubra se o seu futuro investimento é efetivamente uma das casas DFL2 e começa a tirar proveito de seus benefícios.

Posted in Sem categoria

Você sabia que investir em uma propriedade é uma dívida boa?

A Cada dia são mais as pessoas que se queixam das dívidas que têm, das altas taxas de juros e da pesada carga em que se tornaram. Isso acontece porque não souberam pedir emprestado e adquiriram más obrigações financeiras.
Mas, quais são os tipos de dívidas existem?
Dívida má
É a que se adquire por um gasto desnecessário ou dispensável, ou para a compra de produtos cujo valor se desvalorizará enquanto os juros aumentam. Geralmente, fazem parte do setor comercial e de consumo: férias, roupas, luxo, refeições fora de casa, crédito de veículo, etc.
Dívida boa
Uma dívida boa representa um benefício real ou investimento. Consegue aumentar seus ativos no tempo e os resultados que a justificam. Entre estas, as mais representativas são as dívidas hipotecárias, os créditos estudantis e de empreendedorismo.
Investir em imóveis
Investir em imóveis é a melhor das opções na hora de pedir emprestado. Em primeiro lugar, o valor que paga pelo empréstimo, em geral, é o mesmo de um aluguel. Ou seja, constituis um patrimônio considerável, enquanto desembolsas um dinheiro que, de outra forma, seria apenas uma despesa de arrendamento.
Além disso, trata-se de um investimento seguro. Salvo algumas exceções, um bem de raiz não é suscetível às flutuações econômicas. Seu imóvel será valorizada com o tempo e se beneficiar da mais-valia que representam as obras de infra-estrutura em suas proximidades desenvolvidas pelo Estado e a empresa privada.

Posted in Sem categoria

3 dicas que serão eliminados seu medo do fracasso

Grandes personagens da história aprenderam de seus próprios erros. Por exemplo, Bill Gates -Microsoft – tentou a sorte com a Traf-O-Data, uma empresa que prometeu analisar grandes volumes de informações. Apesar de não ter obtido o sucesso, Gates não se rendeu e continuou firme em suas convicções. Cair e falhar é parte da vida, e saber superar isso, é a única forma para conseguir nossos objetivos. Como superar o medo do fracasso para iniciar um negócio? Em seguida, damos-lhe algumas dicas interessantes.
1. Auto-confiança
O medo do fracasso vai de mão em mão com a insegurança em si mesmo. É impossível que tenhamos uma auto-estima 100% perfeita. No entanto, ignorar isso e agir como se estivéssemos seguros de todas as nossas decisões é a melhor maneira de autoconvencernos de ser capazes de atingir nossas metas. Ao enganar o seu cérebro, predispones a sua mente para entrar em um cenário de sucesso, reforçando a idéia de que você pode conseguir o que deseje.
2. Objetivos claros
Você pode ter um grande objetivo, mas, para alcançar o prêmio maior é necessário colocar pequenas metas que lhe permitam reforçar a confiança em si mesmo e ter a convicção de ir por um bom caminho. Por isso, o melhor é começar com objectivos a curto e, em seguida, a médio prazo, já que estes são mais próximos de alcançar e, à medida que vás conseguindo, você poderá conseguir as forças e capacidades para apontar cada vez mais alto.
3. Pensar muito, paralisa
É normal que quando temos medo de que algo saia errado, esse pensamento nos impeça de alcançar a meta estimada. No entanto, em vez de pensar os problemas, apenas arrisque-se e, se algo der errado, no caminho, procure a maneira de resolvê-lo e continua. Finalmente, as coisas que realmente valem a pena envolvem quedas, decepções e pormenores que, uma vez no topo, contemplarás, e você notará quão pequenos que se vêem do pódio do sucesso.
O medo do fracasso, não pode estar entre você e seus objetivos. Por isso, coloque em prática estas três dicas que acabamos de lhe dar e você verá que, com vontade e perseverança, você vai conseguir todos os objetivos que considerares.

Posted in Sem categoria

Por que as pessoas migram para Santiago Centro?

Por Cristian Lecaros, CEO Lecaros Group
Quando se compara os censos dos últimos anos, pode perceber que aumentou de forma importante os subsídios de renovação urbana, que se dão em Santiago Centro, gerando um efeito muito poderoso. Casais jovens com apenas um filho, casais jovens e sem filhos, ou jovens profissionais que têm a capacidade de crédito escolheram Santiago centro como destino.
Este movimento tem a ver primeiro com o subsídio, e o segundo com o centro acolhe várias características importantes. Isto é devido, principalmente, às linhas de Metro consolidadas que permitem que você se conectar com praticamente toda a capital. Além disso estão as universidades, hospitais, clínicas, centros de formação técnica, proximidade a grandes fontes de trabalho, etc., Há que se lembrar também que aí está todo o eixo de trabalho, como em Las Condes e Providência.
Santiago tem todas estas características, incluindo também algumas áreas verdes e parques, fez com que toda a gente tenha ido por essa demanda. Por sua parte, além disso, os imóveis têm desenvolvido uma grande quantidade de oferta e, agora, vemos como se completaram 100% muitos projetos e departamentos que alguns céticos em algum momento pensaram que não podem ser concluídas.
Ao continuar a construir o que acontece é que as zonas de Santiago foram revitalizándose. Isso pode demonstrar que onde antes havia muita prostituição, e situações complexas de noite, hoje percebe-se que estas áreas têm vindo a melhorar, é sempre aumentado tudo o que é segurança pública, no centro, e com isso melhorou a qualidade de vida dos residentes.
Graças a esta mistura entre restaurantes, centros educacionais de todos os tipos –básicos, médios, superior–, questões de saúde e conectividade, fizeram com que, no fundo, Santiago Centro, siga sendo até o dia de hoje, uma das praças mais demandadas por parte do perfil jovem profissional ou casal jovem. De fato, casamentos até 35 anos é o que você mais vê na demanda.
Se lhe adicionarmos a tudo isto que a tendência hoje em dia é que 2,6% das pessoas são imigrantes, fortalece a demanda em Santiago centro, sempre e quando exista uma certa estabilidade econômica. Isso é porque o imigrante gosta de estar no centro de Santiago por tudo explicado anteriormente, então por conclusão, onde antes um formato de estudo, o que demandava um estudante, hoje ele precisa, por exemplo, um venezuelano. Isso se deve ao fato de que eles, principalmente, exigem é ter um lugar onde você pode dormir a um custo menor do que um apartamento de 1 quarto.
Além disso, cabe destacar que as preferências também vão pelo lado as instalações e serviços em relação a segurança, como portaria e circuito fechado de tv, lavanderia, salão de festas, churrasqueira, e, eventualmente, piscinas, já que para as pessoas, pagar um aluguel em média 170 mil pesos para um estudo versus 220 mil, com um quarto passa a ser interessante, porque além da economia que nestes tempos se agradece, se soma uma fácil conectividade para qualquer lugar para o qual se requer graças ao metro e a locomoção central.
A maioria das pessoas o que quer oxalá é fazer uma vida de bairro. Querem o armazém de bairro, que hoje em dia, estes vendem um monte de produtos, incluindo restaurantes de comida colombiana em um ponto pequeno, porém, estas serão preenchidas pela alta taxa de estrangeiros, acrescentando outro tipo de “valor agregado” perto de casa.
Santiago vem a ser as “três B”, Bom, Bonito e Barato como razão Custo/Benefício, em comparação de outras comunas, a nível de segurança, instalações, localização, o que o tornam um lugar extremamente atraente. E observa que a velocidade de aluguel aqui é alta. Em média uma propriedade estaria em duas semanas arrendada, por conseguinte, a taxa de ausência não vai mais de um 1% a 2%, dependendo da área, o que para o investidor imobiliário passa a ser muito interessante e rentável.
Viver em Santiago viria a fazer o melhor dos mundos, e assim o mostram as tendências.

Posted in Sem categoria