Saiba como escolher um Crédito Hipotecário

Entre julho e setembro do presente ano, vivemos a explosão de vendas de imóveis a maior desde há uma década, isso segundo dados da Câmara Chilena da Construção (CCHC). Durante esse trimestre, houve um crescimento de 45,6% em comparação com o ano passado, e de acordo com Xavier Furtado, gerente de Estudos da CCHC, uma das causas que explica o fenômeno seria que, a partir de 1 de janeiro de 2016, as casas vão começar a pagar o IVA, e os preços podem subir entre 3% e 10%. Mas é importante ressaltar que esse imposto não se aplica a habitações de menos de 50 milhões de pesos.
Outros dados interessantes na hora de pensar em investir em imóveis, é que das mais de 12 mil casas compradas este ano, 8 em cada 10 são departamentos. E 47,4% das vendas foram de imóveis de menos de 2 mil UF.
No terceiro trimestre além disso, a Estação Central, foi uma das comunas mais procuradas na hora de comprar um apartamento, concentrando 17% das vendas, liderando assim o ranking com Independência e Da Flórida.
Atualmente o mercado tem para oferecer, entre 70 mil e 80 mil casas, o que se traduz também em que as instituições financeiras estão oferecendo atrativos créditos para seus clientes em potencial, por isso mesmo, gostaríamos de perguntar ao nosso especialista Cristian Lecaros, CEO de Investimento Fácil, como escolher um crédito hipotecário:

1. Primeiro, o convite é a descontar créditos em instituições financeiras, pelo menos, 5), entre bancos e mutuarias.
2. Uma das recomendações mais importantes é olhar sempre o dividendo final, já que com esse valor posso fazer a comparação com outras instituições. A taxa de juros tem relação directa com o dividendo final.
3. O preço dos seguros associados ao crédito hipotecário variam de uma instituição para outra. Você pode até mesmo tomar o Terremoto ou Incêndio em uma instituição diferente ao hipotecário. Mas há que tomar em conta que estes seguros “independentes” deverão ser pagas em sua totalidade por ano completo, a diferença de escolher o pacote completo no banco, em que os seguros são incluídos na prestação mensal do crédito.
4. Flexibilidade de Pagamento: O sistema de entrega diferentes prazos de pagamento, geralmente entre 8 e 30 anos, dependendo do pé, idade e outros fatores. Hoje existem no mercado opções de pagamento, com a flexibilidade que permitem adiantar ou atrasar quotas, assim como também modificar o valor de um mês para outro. Algumas instituições que trabalham com esta modalidade são: BBVA, Metlife ou Vice Hipotecária.
5. Uma boa opção é quando uma instituição financeira oferece “meses de graça”, que são, geralmente, entre 2 e 6, podendo assim atrasar o pagamento da primeira parcela do crédito. Isso permite amortecer as despesas dos primeiros meses da mudança, as Despesas Operacionais, a compra de mobiliário, organizar o pátio, no caso de que seja uma casa, etc., Há que se levar em conta que, algumas vezes, as entregas das casas é com algum atraso e podem ser combinados quotas do novo dividendo com o atual aluguel.
6. As Despesas Operacionais (GO) também variam entre uma instituição e outra, e podem aumentar muito o valor de um crédito. Os GO são um dinheiro extra que é cobrado por procedimentos como a inscrição da propriedade no Conservador de Bens imóveis, o Estudo de Título e o Rascunho da Redação.
7. O PÉ: A partir de agora você deve pensar no que será de 20% do valor da propriedade, por conseguinte, é conveniente começar a poupar desde antes ou escolher projetos de, pelo menos, um ano da data de entrega, para, assim, ter mais tempo de pagar o pé no confortáveis quotas.

Posted in Sem categoria